sábado, 18 de março de 2017

DOCES LEMBRANÇAS...

   
       Daqui de casa, ouço o som de Benito di Paula, que vem do boteco... 'Ah...como eu amei...'
       Que saudade de você, Amauri! Você foi uma das poucas pessoas que me amou de verdade! E eu não correspondi a esse amor, que hoje tanta falta me faz!
       Um amor possessivo, é verdade, mas por eu ser muito jovem, 20 anos, não soube lidar...(acho que isso é mais uma desculpa...pra eu enfrentar a realidade de agora...)
       E hoje? sem um amor! E como faz falta um amor de verdade!
       Ah...como eu fui amada!...Como gostaria de voltar no tempo...não fui perfeita...só agora reconheci...eu fui feliz...agora... este sorriso sem graça.
       Você era parecido com Benito...e se sentia orgulhoso disso! Os cabelos, o bigode...sem tirar nem pôr ...e a barba, então!? Você também gostava de cantar...quando solteiro você chegou a cantar...fazia parte dos THUNDERBIRDS. E com que elegância você se apresentava! Veio-me a lembrança do nosso tempo de namoro. Você chegava para namorar sempre muito bem vestido! Mas aquele seu ciúme doentio me assustava...
       Você partiu muito cedo desta vida! Com 47 anos! Hoje sinto muito a sua falta! Você me amou de verdade! No próximo dia 23 de março, você completaria 70 anos! Imagino como seria nós dois,velhinhos... 
      Ah...como sem saber... EU TE AMEI!
      Volta, Amauri, vem me buscar...ainda há tempo ...temos a eternidade!!!
  

segunda-feira, 13 de março de 2017

E a saga continua...

     No começo de dezembro de 2016, por não aguentar mais a pressão psicológica que eu sofria com a presença da Ana, resolvi deixar o meu lar depois de 25 anos.
       Pensei com meus botões: "Vai ser melhor pra mim...", " as coisas vão se resolver...".
       Doce ilusão. As coisas pioraram. Mais uma vez, tive que tomar uma decisão drástica:Saí das redes sociais!
Pensa numa pessoa do mal...Que não tem respeito pelo ser humano...que não tem princípios...É um verdadeiro trator...o nome dela é Ana Luisa Landim Gouveia. Agora Gouveia, pois se casou com meu filho.
       O golpe de misericórdia dela para acabar com a idosa: postar na sua página, no Facebook, injúrias a meu respeito.
       Cheguei à beira do abismo! Desejei a morte! A velha é dura na queda. Fiz Boletim de Ocorrência, na delegacia do idoso.
       Sei que ela não vai parar...infelizmente, me acostumei com o sofrimento...que é de longa data...  
      É porrada e bordoada de todo lado. Estou pagando pelos meus pecados... 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

CONFISSÕES DE UMA SOGRA
São duas horas e quarenta e oito minutos desta madrugada sem sono de 15 de novembro de 2016.
São estas as coisas que estão no meu pensamento e não me deixam dormir:
Ela, antes de se casar com meu filho, não reclamava de nada, em casa mal se ouvia a voz e os passos dela... tentando mostrar uma coisa que realmente não é.
Casaram-se há dez meses e 'colocou as manguinhas de fora'. Reclama de tudo: "Eu não limpo a casa porque as crianças bagunçam tudo". Não gosta de crianças porque tem trauma de adolescente que ajudou a mãe a criar mais onze irmãos. 
Não recolhi as cobertas que estão no varal há três dias porque hoje, domingo, estou fazendo almoço para meu marido.
Não vou ao quintal porque a cachorra pula em mim e eu não gosto de animais.
O meu neto quase não vem aqui e quando vem ela reclama: "Olha o rolo de papel higiênico que ele usou." E me mostra o cestinho de lixo do banheiro. E ainda diz: "Fui eu que comprei, é tão caro...!" 
Imagina você um papel higiênico da pior qualidade, daqueles que deixam o seu fiofó ardendo, parece  areia e não papel. Ou lixa...
"O "mozinho" deixa a porta do nosso quarto trancada." E por causa disso perdi o direito de circular pela minha casa, ir até a sacada, ver a rua...ou atender alguém que chama por mim. Tudo porque a cama não é feita. Parece mais uma 'cama de gatos'!  
A pilha do controle acaba, eles não assistem mais. Por quê? Porque não querem gastar com a minha TV, que eu mesma não assisto.
Não é nada  gentil: na véspera do feriado amanheceu chovendo muito e eu não ia sair a pé de casa com o neto de 7 anos para buscar pão e leite para o café da manhã. Ela com seu carro, saiu mais cedo para tomar café na casa da mãe, foi trabalhar. Eu liguei pra minha filha, mora que em outro bairro e ela veio pra ir buscar o pão. O maridinho dela não podia ir buscar o pão porque disse que não ia sair debaixo de chuva...
Que costume feio: ela sempre deixa uma faca suja de manteiga...uma topperwearzinha que usa pra levar almoço...pra eu lavar. Abusada!!! Já falei com todas as letras: cada coisa no seu lugar e aí vem a folgada e faz essas coisas. Pura provocação.
Eu tomo banho gelado porque eles querem que eu compre uma resistência para o chuveiro. Mês passado paguei a conta de água. Ela ficou tão brava... Eu argumentei: veio com aviso de corte...Ela:" "Pago atrasada, mas a gente paga!"  E eu fiquei sem receber o valor dessa conta. Ficou por isso mesmo.
Muito raramente, ela faz o almoço do marido. Nem ela come! Não gosta nem de servir o prato de comida pra ele. Faz tudo forçado, com má vontade e sem amor. Comida sem amor não tem sabor!
"Pode deixar que a roupa do meu marido eu lavo!" O cesto está aqui, cheio de roupa suja de oficina.
Ela se divorciou no primeiro casamento. E deve estar cometendo os mesmos erros, pois está uma lástima o casamento deles. Pensa num casal que transborda falsidade! O meu problema é que pra mim não dá para conviver com eles. Já estou arrumando meu canto aos 67 anos de idade!
Eu sofri algumas 'tentativas de homicídio'. Ela lavou a cozinha, mas não puxou a água direito. Eu subi numa cadeira e ao colocar o pé para descer...escorreguei...e pum...de bunda no chão. Nisso eu joguei a cabeça para trás e bati com tudo no piso duro. Perdi os sentidos por alguns minutos...estirada no chão...  Chamei por eles...gritei o nome deles...e nada. Não tinha ninguém em casa. Ele saiu e ela foi pagar uma conta. Quando voltaram, fiquei sabendo que ela com o carro dela atropelou um motociclista e  a esposa. 
Numa segunda vez, o casal saiu à noite. Eu já estava dormindo. Ela esqueceu que deixara o arroz cozinhando. Acordei sufocada, gritei o nome deles e...nada. Ao voltarem , depois de quarenta minutos,  eles viram o estrago. Meu filho abriu as janelas e ela ficou umas duas horas pra lavar a panela queimada...ou melhor, torrada. Caramba! Uma mulher com trinta anos, ele com 25, ambos sem noção do perigo. Será que esqueceram que a idosa mora aqui!? Ainda bem que eles não têm filhos! Mesmo porque se tivessem, levariam juntos.
Sabe o que me irrita: essa coisa de todo mês ela vir com um 'presentinho' pra mim. Tenta de todo jeito fazer com que eu fique na minha, que eu vá engolindo os 'sapos'. O último foi uma agenda 2017.
No dia 2 de novembro foi o aniversário da avó dela que completaria 90 anos. Ela me convidou. "Vamos, assim a senhora conhece a família toda!" Donana, não faço questão nenhuma de conhecê-los!
Já que a senhora não quer ir, eu vou trazer um pedaço de torta que eu sei que a senhora gosta e que minha mãe fez pra levar na festinha. Estou esperando até hoje! Voltou da festinha, com uma fatia de bolo pra mim e da torta... nem notícia! Eu não perguntei e ela nada disse. Ficou por isso mesmo. Pode!?
Como não aguento falsidade, descaso, abuso, eu resolvi mais uma vez dizer com todas as letras:NÃO GOSTO DE VOCÊ! E está difícil conviver com vocês! Desde que se casaram, meu filho não é o mesmo filho!
E ela: "É por isso que você o  maltrata? Eu: "Eu não o maltrato!" Ela: eu amo meu marido, não adianta a senhora querer nos separar"Eu: Vocês se merecem!

       
...e aí vai...a saga continua ...







quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Guarulhos, 06 de janeiro de 2016.

                        Todos os anos recebo um calendário de uma associação católica de São Paulo, com figuras de Nossa Senhora. E neste ano não foi diferente. Disse adeus ao calendário que me acompanhou o ano de 2015.
                        Somente hoje peguei o novo nas mãos. Costumo folheá-lo antes de colocá-lo na parede, para mais um ano juntinhos.
                        Qual não foi minha surpresa e emoção ao ‘bater’ os olhos no mês de janeiro: a figura de Nossa Senhora do lado esquerdo da página e do lado direito, nada mais nada menos que o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, México.
                        E diante  daquela figura me emocionei muito: estive naquele local, pisei aquele chão, andei por ali, entrei no Santuário e me emocionei como várias outras pessoas que lá visitavam também.
                        Sei que sou privilegiada e protegida pela Nossa Mãe como tantos os que são devotos de Nossa Senhora.
                        Meu primeiro objetivo, ao chegar ao México,  ano passado, era conhecer o santuário da  padroeira do México e da América Latina e foi a primeira coisa que fiz ao chegar lá.
                        Obrigada, obrigada meu Deus por me ajudar a cumprir o que eu chamei de MISSÃO.